Grupos e Artistas da Casa

VILAVOX

Criado em 2001, no Teatro Vila Velha, o Vilavox atua ininterruptamente desde então. A partir de 2009 passou ocupar a Casa Preta Espaço de Cultura e a co-gerir o espaço. Montou 10 espetáculos, circulou por todas as regiões do Brasil e, fora do país, apresentou-se em Portugal, Alemanha e Uruguai. (grupovilavox.com.br).

Para ver os espetáculos do Vilavox, acesse nossa página de conteúdo durante o isolamento.

ALDEIA COLETIVO

O Aldeia Coletivo é um coletivo de atrizes, músicos, compositores e atores sediado na Casa Preta Espaço de Cultura, que sustenta como objetivo o despertar e fortalecer do sentimento de brasilidade e conquista da liberdade, através do uso de múltiplas ferramentas do fazer artístico (teatro, literatura, dança, poesia, música, vídeo, fotografia e artes visuais). O grupo se dedica, em seus produtos, à pesquisa do universo de encantamento no qual está imerso a figura do Caboclo (que deriva do tupi “kareuóka”, que significa da cor de cobre, acobreado, ou aquele que descende do acobreado), personagem síntese da cultura brasileira, que representa a formação de um povo novo, resultado de uma mistura sanguínea e cultural observada no cotidiano brasileiro. https://linktr.ee/aldeiacoletivo

Para ver os espetáculos do Aldeia Coletivo, acesse nossa página de conteúdo durante o isolamento.

ATELIER CENOGRÁFICO MAURÍCIO PEDROSA

O Atelier Cenográfico Mauricio Pedrosa, espaço onde o artista e professor da UFBA cria e produz seus cenários e adereços, inclusive para atividades desenvolvidas na casa, como cenários de peças e ambientações para festas e eventos. Oferece oficinas de bonecos e máscaras, promove atividades culturais integradas à casa ou de forma independente… Encontros, bazares, exposições e afins

BOGUM AMBIANTE CRIATIVO

BOGUM Ambiente Criativo é uma iniciativa desenvolvida por artistas multidisciplinares, interessados na produção, pesquisa e experimentação de poéticas voltadas às novas tecnologias e contemporaneidade. O coletivo atua no campo das artes cênicas, audiovisual, fotografia, música e nas tecnologias do espetáculo, com especialidades em produção, coordenação e consultoria técnica, projetos elétricos, iluminação cênica, soluções em equipamentos e prestação de serviços afins.(www.bogum.com.br)

GORDO NETO

Ator, diretor e autor, Gordo Neto atuou em cerca de 20 espetáculos, dirigiu outros 7, além de shows. Como ator, destaca-se o trabalho em “Um Tal de Dom Quixote” (1998), espetáculo de reinauguração do Teatro Vila Velha, com direção de Marcio Meirelles, “Fausto Zero”(1999), do mesmo diretor, “A Memória Ferida”, indicado como Melhor Ator Coadjuvante pelo Prêmio Braskem de Teatro, dirigido por Carol Vieira, além de “O Segredo da Arca de Trancoso”, dirigido por Claudio Machado e “O Castelo da Torre”, por Meran Vargens, ambos do Grupo Vilavox, criado em 2001, do qual é co-fundador.

Como diretor, destacam-se “Primeiro de Abril (2004) e “Dissidente” (2012), contemplado como Melhor Diretor pelo Prêmio Braskem de Teatro, além do show Trilhas do Vilavox, de 2018. Gordo Neto tem experiência em gestão pública na área teatral, trabalhou no Teatro Vila Velha por cerca de 10 anos e tem artigos publicados em revistas como Subtexto, Repertório, Cavalo Louco e na Cartografia do Teatro de Grupo no Nordeste. É o idealizador do Festival Maré de Março, coordenador do projeto de formação de jovens atores “Aprendiz em Cena” e co-gestor da Casa Preta.

CABOCLO DE COBRE

O multi artista e pesquisador Caboclo de Cobre (Luiz Guimarães) se mantêm como um dos poucos artistas da Bahia a se debruçar sobre o universo ameríndio e caboclo. Pesquisa iniciada em parceria com a diretora Onisajé, no ano de 2014, com o espetáculo “Kanzuá, Nossa Casa”, e posteriormente aprofundada juntamente com o Coletivo Aldeia. Uma investigação poético-cênico-musical que se inspira na figura do Caboclo e da Cabocla, presentes nos ritos de Tambor de Mina, Umbanda, Vale do amanhecer, espiritismo e principalmente nos cultos de candomblé de Caboclo em terreiros de nação Banto.

Durante a pandemia lançou o álbum “CaBôCo-ExperiênciA, Segunda Flecha”, com 4 musicas e 4 clipes. Caboclo de Cobre assina a autoria e direção de espetáculos como: Ybytu-Emi, Pindorama Antes de Chamar Brasil, Candêa e Gudiar.

Para ver o som do Caboclo de Cobre, acesse nossa página de conteúdo durante o isolamento.

ISSA

Ambush Bahia é o primeiro álbum do cantor, compositor e instrumentista baiano Issa. Em seu primeiro trabalho autoral o músico propõe a união de elementos aparentemente distintos, mas que em um exame mais próximo estão próximas. Isso porque as fontes de onde o álbum bebe suas referências são, em suma, afrodiaspóricas, assentando sua sonoridade na musicalidade nyahbinghi, reggae, dub, do samba e também do pagode, do rap e da música pop.

Para ouvir o som de Issa acesse nossa página de conteúdo durante o isolamento.

MAYALE PITANGA

undefined

Músico, compositor, guitarrista e agitador cultural é membro do Coletivo Aldeia desde 2015. Iniciou sua caminhada direcionada a apresentações com músicas autorais no mesmo ano no grupo Outros Diversos. Após resgate de suas raízes afro-ameríndias que se aprofundam no Coletivo Aldeia surge o show “Planta do Pé” que circulou nos anos de 2018 e 2019. Suas canções trazem a provocação sobre a necessidade de reflexão e entendimento diante das nossas ações, pensamentos e anseios que estão diretamente ou indiretamente ligados as nossas praticas ancestrais. Atualmente trabalha no projeto “Oré” que é uma “continuação” desse primeiro momento e traz novas experiências para o público. Mayale

Para ouvir o som de Mayale acesse nossa página de conteúdo durante o isolamento.

%d blogueiros gostam disto: